segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O DEUS DE SPINOZA




Einstein, perguntado se acreditava em Deus, respondeu: “Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia de tudo o que existe, e não no Deus que se interessa pela sorte e pelas ações dos homens”.

Este é o Deus ou Natureza segundo Spinosa (Espinosa):

Se Deus tivesse falado:
“Pára de ficar rezando e batendo o peito!
O que Eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias.
Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
Pára de me culpar da tua vida miserável:
Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador ou que tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria.
Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Pára de ficar lendo supostas escrituras sagra das, que nada têm a ver comigo.
Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho…
Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir.
Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Pára de ter tanto medo de mim.
Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo.
Eu sou puro amor.
Pára de me pedir perdão.
Não há nada a perdoar.
Se Eu te fiz…
Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.
Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportam bem,
pelo resto da eternidade?
Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.
Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.
A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre.
Não há prêmios nem castigos.
Não há pecados nem virtudes.
Ninguém leva um placar.
Ninguém leva um registro.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho: Vive como se não o houvesse.
Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tenha certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não.
Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste…
Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Pára de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar.
Eu não quero que acredites em mim.
Quero que me sintas em ti.
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha,
quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Pára de louvar-me!
Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
Me aborrece que me louvem.
Me cansa que agradeçam.
Tu te sentes grato?
Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
Te sentes olhado, surpreendido?…
Expressa tua alegria!
Esse é o jeito de me louvar.
Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim.
A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas.
Para que precisas de mais milagres?
Para que tantas explicações?
Não me procures fora. Não me acharás!
Procura-me dentro… aí é que Estou, batendo em ti.


Baruch Spinoza.

28 comentários:

  1. Olá irmão.
    A paz do Senhor.
    Pessoalmente acho esse texto de Spinoza altamente falho, como toda e qualquer auto-ajuda.
    É teologicamente errado e filosoficamente fraco.
    É passível de contestação fundamentada a cada oração, a cada linha.
    Realmente spinoza boiou na maioneze.
    Sequer cita Jesus. Uma lástima.
    Parabés pelo blog.
    Nos faz refletir e entender cada vez mais a Palavra de Deus.
    Graça e paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. inacreditavel....o que jesus tem a ver com um texto que, sendo ou não de Spinoza, busca antes de tudo libertar as pessoas de tantas regras e conceitos inventados pelos religiosos, principalmente os que transformaram o nome de jesus num ótimo negócio?

      Excluir
    2. Seria interessante ler as suas contestações.

      Excluir
    3. Caros,

      Faz quase dez anos que estudo a filosofia de Spinoza e este texto, definitivamente, não é dele. Erros teológicos e fraqueza filosófica são atribuições que não se enquadram para defini-lo. Para constatar isso, basta ler sua Ética e o seu Tratado Teológico-Político, onde seu conhecimento e domínio da tradição filosófica e teológica até o setecentos, se mostra num nível que poucos puderam superar. Contudo não creiam que Spinoza harmoniza conhecimento teológico e filosofia - pelo contrário, através de uma profunda exegese bíblica (principalmente do velho Testamento, pois dominava o hebraico como poucos) aliada a sua construção filosófica, ele defende que a Bíblia não explica nada da realidade pelo contrário, ela é um delírio dos profetas. Desconstrói milagres, nega a imagem de um Deus que reflete a impotência humana, etc. Contudo defende um ponto: que o credo mínimo cristão (amar ao próximo como a si mesmo e a Deus sobre todas as coisas) é uma verdade eterna, já que expressa a concórdia entre os homens e os leva a viver bem entre si. Bem, leiam por si mesmos ao invés de ficarem achando que Spinoza "boiou na maionese". Existem excelentes traduções para o português destas duas obras que eu citei e não são caras.

      Excluir
    4. Esse texto não é de Spinosa. Nunca foi. Alguem redigiu uma interpretação falsa e publicou. Leia o apêndice da 2º parte da Ética de Spinosa. De uma editora confiável. ok?

      Excluir
    5. cristo abraão moises Josué mesmice mesmice bla bla bla bla eu não sei e ninguém sabe nada apenas bla bla bla

      Excluir
    6. Tenho uma dúvida que para mim, não teísta, é fundamental: o Deus de Spinoza era um deus consciente ou não? Já vi alguns debates afirmando que ele era uma força criadora. Bom se Deus for uma mera força criadora o que o torna diferente de uma descrença ateísta.
      É uma coisa que gostaria de saber.

      Excluir
    7. Um judeu jamais iria falar de Jesus. Mas, ele, Spinoza, sem renegar a Deus, deixa claro que as religiões são descartáveis. Atualmente elas levam a desgraça aos povos e ao mundo.

      Excluir
    8. Um judeu jamais iria falar de Jesus. Mas, ele, Spinoza, sem renegar a Deus, deixa claro que as religiões são descartáveis. Atualmente elas levam a desgraça aos povos e ao mundo.

      Excluir
    9. Deus é o mundo em today as suas essencias e Jesus uma parte dele e no um see especial a quem nos sentamos e pedimos.Esse foi o Jesus no texto.

      Excluir
  2. Querido amigo,
    A visão de Spinoza é uma visão libertadora, ele foi um homem a frente de seu tempo, tanto que acabou sendo incompreendido pelos seus próprios compatriotas judaicos e pelos cristãos da época que viviam mergulhados em hiprocisia e engessados em seus dogmas. Ele influenciou muitos pensadores, como Nietzsche, Einstein e Jung,quebrou paradigmas religiosos demonstrando que só é possível ter comunhão com o todo, superando todas as formas primitivas pré-estabelecidas. Quanto a questão teológica, ele sai das molduras formatadas elabaradas pela "neurótica" tradição da igreja, onde toda a teologia cristã foi decidida em meio a muita discussão e mortes, não levando a lugar nenhum a mensagem central do Jesus, o Cristo libertador, e sim, a construção de muitos dogmas opressivos e sufocantes, bom nos moldes judaicos antigos. Spinoza viveu em um tempo onde a teologia cristã já estava totalmente fossilizada, onde o que predominava era o temor (medo) a Deus, e não uma intimidade como ele de forma espontânea e natural.

    Como Nietzsche dizia: "Como posso acreditar num Deus que precisa ser louvado e adorado todo tempo?", Jung também cita: "Eu não preciso acreditar em Deus, Ele vive." e por aí vai, infelizmente muitos cristãos ainda precisam de muletas religiosas, precisam de campanhas, louvores, cultos avivados para mexerem com o emocinal, e a pergunta que eu deixo aqui é: E aonde está a espiritualidade desses que não seja na institucionalização da religião? Leonardo Boff diz: Jesus anunciou o Reino, mas o que veio foi a igreja.

    Chegou a hora dos cristãos se desprenderem das amarras dogmáticas e da burocracia religiosa, entender que Deus é Deus, não precisa o homem ficar com vãs repetições como Freud dizia: "A religião é uma forma de neurose obcessiva". Basta seguir o curso da vida, com muita fé, consciência e amor no coração.

    Obrigado pelo comentário,
    Muita luz e paz profunda!!!

    Kadu Santoro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kadu Santoro, meus parabens!! Vc falou tudo. Faço das suas, as minha palavras.

      Sidney

      Excluir
    2. Parabéns! Deus não é uma regra é um sentimento... Namastê!

      Excluir
  3. Olá Kadu, tudo bem?

    Spinoza foi uma das mentes mais privilegiadas que o povo judeu nos legou. Apesar de não ter sido um judeu ortodoxo(foi excomungado da sinagoga) escreveu obras de excepcional complexidade e beleza como sua Ética. É um filósofo pouco lido e pouco compreendido. Mas este texto que você postou(que eu nunca tinha lido) é simples em sua profundidade.

    Vou guardar este texto para publicar futuramente na confraria logos e mythos(logosemithos.blogspot.com) da qual o convido para participar como autor, se assim, o desejar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Obrigado amigo, pelo nobre convite para participar do seu blog. Será um prazer poder compartilhar idéias com pessoas de mentalidade aberta como você. Inclusive, já estou seguindo seu blog. Se vc quiser pode pegar o banner do meu blog e colocar lá, fique a vontade.

    Abraços,

    Kadu Santoro

    ResponderExcluir
  5. Kadu, Tudo bem?
    Vim agradecer sua visita ao meu blog. Gostei do seu espaço que pretendo vasculhar um pouco mais.rs... Seria um prazer receber novas visitas e quando e se houver outra oportunidade deixe um comentário deixando suas impressões. Um abraço! Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  6. Oi Mariani, td bem?
    É um prazer em tê-la aqui no meu blog, obrigado pela visita. Tb estarei desfrutando do seu blog, é bem interessante. Fique a vontade para comentar, criticar e dar sugestões.
    Abraço e paz profunda! Kadu Santoro

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de pedir permissão para republicar este texto no meu blog. Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza querida, fique a vontade, ok?

      Excluir
  8. este senhor Seteque é quase um deus, tão taxativo: teologicamente falho e filosoficamente fraco... é um juiz com a verdade na mão.
    e se é de baruch spinoza ou não, o que importa é o conteúdo, sua beleza humana e poética.

    ResponderExcluir
  9. Já ouvi falar que o texto é fake (falsamente atribuído ao Baruch Spinoza). Contudo, independente de o texto ter sido escrito por ele ou não, independente de o texto ser uma síntese da linha de pensamento de tal filósofo ou não, ainda assim continuarei dando valor a grande parte do conteúdo e da mensagem que o texto propõe.

    ----------

    "Não devemos ACREDITAR numa coisa simplesmente porque ela nos é dita, nem aprovar as tradições apenas porque elas descendem da Antiguidade, nem admitir os escritos sábios apenas porque eles foram escritos pelos sábios. Nós devemos aceitar apenas aquilo que recebe a aprovação de nossa consciência; é por isso que eu vos ensinei a crer apenas quando vós SENTIRDES aquilo que vos apresentam em vossa própria consciência interior" (Buda).

    E se esta frase também for falsamente atribuída a Buda... eu, ainda assim, continuarei dando valor ao conteúdo e à mensagem que ela propõe, pois sinto que a frase é verdadeira.

    ResponderExcluir
  10. Sendo ou não de SPINOZA, o texto reflete verdades que não combinam com os interesses de pregadores religiosos, que quando não são comerciantes da fé, professam religião com o intuito de manipular as massas ignaras. Realmente um DEUS não combina com um ser raivoso a vingativo, que nos mandará para o céu ou inferno. Para mim, religião combina com enganação, manipulação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para mim, Deus revela as coisas através da ciência,da biblia e do Bhagavad Gita,ele esta em todo o cosmos

      Excluir
  11. Se um time precisa ganhar por qualquer placas para ser campeão, o torcedor vai ao estádio dizendo estar CONFIANTE na conquista do título. Mas, se precisa ganhar por uma diferença de cinco gol e depender de outros dois resultados, o torcedor diz que TEM FÉ na conquista do título. Eis a principal diferença entre CONFIAR e TER FÉ. Confiamos no plausível, no " acontecível ", no razoável, e TEMOS FÉ no implausível, no quase impossível de acontecer. TER FÉ muitas vezes remete à resignação com o não recebimento da graça suplicada, e não precisamente com confiança de que virá. Religiões são assim: muitas vezes nos ensinam o dom da resignação, só isso. Por que religião quase sempre não combina com ciência ? poderia combinar, se não fosse os interesses escusos dos pregadores. Para eles, mais notadamente os católicos, um paraplégico deve ficar a vida toda frequentando a igreja e TENDO FÉ de que um dia será curado. Mas a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana se opõe às pesquisas com células-tronco. Não é difícil entender isso: para quem está nesse ramo de vender ou alugar lenços, quanto mais lágrimas houver, melhor. Para a igreja, é claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse negocio de fé foi um erro de tradução,nas escrituras originais a palavra usada é confiaça,ou seja confie em Deus o pai,que ele te dará aventuras,

      bem aventurado aquele que busca justiça e conhecimento

      palavras de jesus cristo (yeshua Christós)

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Se o texto não é de Spinoza, dada a múltipla difusão que assim o refere, seria interessante saber qual o verdadeiro autor e seu interesse.
    Parece uma concepção perfeita, seja de quem for.

    ResponderExcluir
  14. Oi Kadu. Sobre O Deus de Spinoza, postado em 2012 neste blog. Eu não conhecia o texto (nem Spinoza). Achei bárbaro - no melhor dos sentidos - e "deu liga" com meu entendimento (de pessoa comum, de cultura mediana ou medíocre) sobre o assunto. Mas queria chamar a atenção para minha dúvida, e de tantos outros, sobre a veracidade da autoria. Acho realmente fundamental saber se é ou não de Spinoza. É mais honesto, mais ético talvez, fazer alguma ressalva acerca dessa dúvida no início do post. O texto é brilhante seja lá quem for seu autor mas não é palatável engolir que é de autoria de alguém sem comprovação ou indicação da fonte. Creio que você que é estudioso do assunto poderia fuçar na literatura e dirimir esta dúvida atroz. Sim ? Não ? Tudo bem de qualquer forma. Abraço.

    ResponderExcluir